Espadas

De Ocultura
Ir para navegação Ir para pesquisar
Template tarot2.jpgTarot | Tarot de Thoth
Arcanos Maiores: O Louco - O Mago - A Sacerdotisa - A Imperatriz - O Imperador - O Hierofante - Os Amantes - A Carruagem - Ajustamento - O Eremita - A Fortuna - Tesão - O Enforcado - Morte - A Arte - O Diabo - A Torre - A Estrela - A Lua - O Sol - O Aeon - O Universo
Arcanos Menores: Paus | Copas | Espadas | Discos

Espadas é umas das naipes do Tarot de Thoth, podendo ser feito um paralelo com a Adaga.

As cartas da Côrte

Cavaleiro de Espadas

Cavaleiro de Espadas
  • Título: O Senhor dos Ventos e das Brisas. O Rei dos Espíritos do Ar. O Rei dos Silfos e Sílfides.
  • Astrologia: 20° de Touro até 20° de Gêmeos
  • Período do Ano: 11 de Maio até 10 de Junho
  • Elemento: A parte ígnea do Ar.
  • Árvore da Vida: O Caminho de Shin
  • Descrição: "Ele é um guerreiro com elmo e como cimeira deste ostenta uma asa revolvente. Montado num cavalo enlouquecido, ele se precipita pelos céus, o espírito da tempestade. Numa das mãos, uma espada, na outra, um punhal."
  • Interpretação: "Ele é o vento, a tempestade. Representa o poder violento do movimento aplicado a um elemento

aparentemente controlável (...) Ele representa a ideia do ataque. - As qualidades morais de uma pessoa assim indicada são atividade e habilidade, sutileza e perícia. Ele é impetuoso, delicado e corajoso, mas completamente a presa de sua ideia, que a ele acode como uma inspiração sem reflexão. - Se mal dignificado, ausente o vigor de todas essas qualidades, ele é incapaz de decisão ou propósito. Qualquer ação que toma é facilmente eliminada do caminho pela oposição. Violência inadequada significa futilidade."

Rainha de Espadas

Rainha de Espadas
  • Título: A Rainha dos Tronos do Ar. A Rainha dos Silfos e Sílfides.
  • Astrologia: 20° de Virgem até 20° de Libra
  • Período do Ano: 12 de Setembro até 12 de Outubro
  • Elemento: A parte aquosa do Ar
  • Árvore da Vida: O Caminho de Mem
  • Descrição: "Está entronizada nas nuvens. A parte superior de seu corpo está nua, mas ela veste um cinto radiante e um sarão. Seu elmo é encimado pela cabeça de uma criança e dela fluem nítidos raios luminosos, os quais iluminam seu império de rocio celestial. À mão direita ela tem uma espada, à esquerda a cabeça recém-cortada de um homem barbudo."
  • Interpretação: "Ela é a percepção clara, consciente da ideia, a Libertadora da Mente (...) A pessoa simbolizada por esta carta deve ser intensamente perceptiva, um arguto observador, um intérprete perspicaz, um individualista intenso, ágil e preciso para registrar ideias; na ação, confiante; no espírito, benevolente e justo. Os movimentos dessa pessoa serão graciosos e sua capacidade para dançar e se equilibrar, excepcional. - Se mal dignificada, todas essas qualidades serão dirigidas para propósitos indignos. Ela será perversa, dissimulada, velhaca e inconfiável, e desta maneira muito perigosa devido à beleza e encanto superficiais que a distinguem."

Princípe de Espadas

Príncipe de Espadas
  • Título: O Príncipe da Carruagem do Ar. O Príncipe e Imperador dos Silfos e Sílfides.
  • Astrologia: 20° de Capricórnio até 20° de Aquário
  • Período do Ano: 10 de Janeiro até 08 de Fevereiro
  • Elemento: A parte aérea do Ar
  • Árvore da Vida: O Caminho de Aleph
  • Descrição: "A figura deste príncipe está trajada com armadura de textura estreita adornada com padrão definido, e a biga que o transporta sugere (ainda mais estritamente) ideias de geometricidade. A biga é tirada por crianças aladas, as quais olham e saltam irresponsavelmente em qualquer direção que motive sua fantasia; não estão submetidas às rédeas, mas sim perfeitamente guiadas por seu capricho. A biga, consequentemente, se move com suficiente facilidade, mas é totalmente incapaz de avançar em qualquer direção definida, a não ser acidentalmente. Eis um retrato perfeito da mente (...) Em sua mão direita há uma espada erguida, recurso de criação, mas na esquerda há uma foicinha, de modo que o que ele cria, ele instantaneamente destrói."
  • Interpretação: "Uma pessoa assim simbolizada é puramente intelectual. É cheia de ideias e projetos que se atropelam entre si. É uma massa de excelentes ideais desvinculados de esforço prático. Possui todo o aparato do pensamento no mais alto grau, é sobejamente inteligente, admiravelmente racional, mas instável quanto aos propósitos, e na realidade indiferente às suas próprias ideias, ciente de que qualquer uma delas é tão boa como qualquer outra. Reduz tudo à irrealidade pela remoção de sua substância e transmutando-a para um mundo ideal de raciocínio que é puramente formal e estranho à relação com quaisquer fatos, mesmo aqueles sobre os quais é baseado."

Princesa de Espadas

Princesa de Espadas
  • Título: A Princesa dos Ventos Furiosos. A Lótus do Palácio do Ar. A Princesa de Imperatriz dos Silfos e Sílfides. O Trono de Ás de Espadas.
  • Astrologia: Rege um 3° Quadrante.
  • Elemento: A parte terrestre do Ar
  • Árvore da Vida: O Caminho 32-bis
  • Descrição: "[Ela] aparece com um elmo, cuja cimeira é a Medusa de cabelos de serpentes. Está de pé ante um altar improdutivo como se para vingar a profanação deste e desfere golpes descendentes com sua espada. O céu e as

nuvens, que são sua casa, parecem irados."

  • Interpretação: "Ela realiza a materialização da ideia. Representa a influência do céu sobre a terra (...) O caráter da princesa é duro e vingativo. Sua lógica é destrutiva. Ela é rígida e agressiva, senhora de grande sabedoria prática e perspicácia no que diz respeito às coisas materiais. Demonstra grande habilidade e destreza na administração de negócios práticos, especialmente onde são de natureza controvertida. Ela é muito hábil no estabelecimento de controvérsias. - Se mal dignificada, todas estas qualidades se dispersam; ela se torna incoerente e todos os seus dons tendem a se combinar para formar uma espécie de velhacaria cujo fim não é digno do meio."

Os Arcanos Menores

Ás de Espadas

Ás de Espadas
  • Título: A Raíz dos Poderes do Ar
  • Árvore da Vida: Kether
  • Descrição: "A carta representa a Espada do Mago (ver O Livro Quatro, Segunda Parte) coroada com o diadema de vinte e dois raios de pura Luz (...) Sobre a lâmina, consequentemente, está inscrita a Palavra da Lei, Θελημα."
  • Interpretação: "A energia primordial do ar, a essência do Vau do Tetragrammaton, a integração do Ruach (...) Há realmente uma notável passividade em sua natureza. É evidente que não possui nenhum impulso autogerado. Mas, posto em movimento por seu Pai [Fogo] e Mãe [Água], seu poder se mostra manifestamente formidável. Visivelmente ataca seu objetivo de uma maneira que eles, sendo de caráter mais sutil e mais tênue, jamais podem fazer (...) O número [vinte e dois] se refere aos Atu; e também 22 = 2 × 11, a manifestação mágica de Chokmah, sabedoria, o Logos (...) Esta palavra [Θελημα] emite um fulgor de luz, dispersando as nuvens escuras da mente."
Do Livro Quatro (Capítulo VII, "A Espada Mágica"):
"Tal como a Baqueta é Chokmah, a Vontade, o Pai, e a Taça a Compreensão, a Mãe, Binah: assim também a Espada Mágica é a Razão “O Filho”, as seis Sephiroth de Ruach (...) é a faculdade analítica; dirigida contra qualquer Demônio, ataca a complexidade deste (...)A Espada, por necessária que seja ao principiante, é uma arma grosseira. - Sua função é manter os inimigos à distância ou forçar uma passagem através deles – e se bem que deve ser brandida para ganharmos admissão ao palácio, ela não pode ser envergada durante o festim nupcial."

Dois de Espadas

Dois de Espadas
  • Título: Paz (O Senhor da Paz Restaurada)
  • Astrologia: Lua em Libra
  • Árvore da Vida: Chokmah
  • Descrição: "Na carta aparecem duas Espadas cruzadas. Estas são unidas por uma rosa azul de cinco pétalas. Esta rosa representa a influência da Mãe, influência harmonizadora que ajusta o antagonismo latente que é natural ao naipe. A rosa emite raios brancos, produzindo um desenho geométrico que reforça o equilíbrio do símbolo."
  • Interpretação: "Este naipe, governando todas as manifestações intelectuais, é sempre complicado e desordenado. É mais sujeito a variações do que qualquer outro naipe. Representa uma agitação geral resultante do conflito do fogo com a água em seu casamento, e procede, com o aparecimento da terra, para a cristalização. Mas a pureza e exaltação de Chokmah são tais que esta carta manifesta a própria melhor ideia possível para o naipe. A energia subsiste acima do ataque violento de ruptura. Esta calma relativa é frisada pela atribuição celeste: a Lua em Libra. - A Lua é mudança, mas a natureza é pacífica; além disso, Libra representa equilíbrio. Entre si, elas regulam a energia das Espadas."
Do Liber LXXVIII:
"Ajuda aos fracos; arranjo; justiça, altruísmo; também uma tendência à repetição de afrontas ao ser perdoado; dano quando bem intencionado; dado a petições; também uma falta de tato e elaboração de perguntas curtas; falador."

Três de Espadas

Três de Espadas
  • Título: Sofrimento (O Senhor do Sofrimento)
  • Astrologia: Saturno em Libra
  • Árvore da Vida: Binah
  • Descrição: "O símbolo representa a grande espada do mago, ponta para cima; ela intercepta a união de duas pequenas Espadas curvas. O impacto destruiu a rosa. Ao fundo, a tempestade se prepara sob uma noite implacável"
  • Interpretação: "Esta carta é escura e pesada; é, por assim dizer, o útero do caos. Há uma intensa paixão à espreita para criar, mas seus filhos são monstros. Isto pode significar a suprema transcendência da ordem natural. Há segredo aqui, e perversão."
Do Liber LXXVIII:
"Ruptura, interrupção, separação, brigas; semeadura da discórdia e contenda, causar danos, tristeza e lágrimas; ainda que regozijante nos prazeres platônicos (...) honestidade em transações monetárias, egoísta e dissipado, mas às vezes generoso."

Quatro de Espadas

Quatro de Espadas
  • Título: Trégua (O Senhor do Descanso do Conflito)
  • Astrologia: Júpiter em Libra
  • Árvore da Vida: Chesed
  • Descrição: "Os punhos das quatro Espadas estão nos cantos de uma cruz de Santo André. A forma deles sugere fixação e rigidez. Suas pontas estão embainhadas numa rosa razoavelmente grande de quarenta e nove pétalas que representam a harmonia social.

Aqui, também, há acordo."

  • Interpretação: "A carta proclama a ideia de autoridade no mundo intelectual. É o estabelecimento do dogma e a lei que a ele diz respeito. Representa um refúgio do caos mental, escolhido de uma maneira arbitrária. Sustenta a convenção."
Do Liber LXXVIII:
"Paz pela e após a guerra. Relaxamento da ansiedade. Sossego, descanso, alívio e abundância, mesmo depois de muita luta (...) Convalescença, recuperação da doença; mudança para melhor."

Cinco de Espadas

Cinco de Espadas
  • Título: Derrota (O Senhor da Derrota)
  • Astrologia: Vênus em Aquário
  • Árvore da Vida: Geburah
  • Descrição: "Os punhos das Espadas formam o pentagrama invertido, sempre um símbolo de tendência um tanto sinistra. E aqui a coisa está, ainda, pior. Os punhos não se assemelham e suas lâminas estão arqueadas ou quebradas. Dão a impressão de desalento. Apenas a mais inferior das Espadas aponta para cima e esta é a menos funcional das armas. A rosa da carta anterior foi inteiramente desintegrada."
  • Interpretação: "Geburah, como sempre, produz ruptura, mas como Vênus aqui rege Aquário, debilidade mais do que força excessiva parece ser a causa do desastre. O intelecto foi debilitado pelo sentimento. A derrota se deve ao pacifismo. Pode ser que haja insinuação de traição, também."
Do Liber LXXVIII:
"Um intrometido e separador de amigos, odiando ver a paz e o amor entre os outros. Cruel, ainda covarde, ingrato e pouco confiável. Inteligente e rápido no pensamento e na fala. Sentimentos de piedade facilmente despertados, mas não duradores (...) Derrota, perda, malícia, maldade, maledicência."

Seis de Espadas

Seis de Espadas
  • Título: Ciência (O Senhor do Sucesso Conquistado)
  • Astrologia: Mercúrio em Aquário
  • Árvore da Vida: Tiphareth
  • Descrição: "Os punhos das Espadas, os quais são bastante ornamentais, são na forma do hexagrama. As pontas das Espadas tocam as pétalas externas de uma rosa vermelha sobre uma cruz dourada de seis quadrados, indicando deste modo a Cruz com a Rosa (Rosacruz) como o segredo central da verdade científica."
  • Interpretação: "O perfeito equilíbrio de todas as faculdades mentais e morais, arduamente conquistadas, e quase impossíveis de serem retidas num mundo em contínua mudança, declara a ideia da Ciência em sua mais completa interpretação."
Do Liber LXXVIII:
"Sucesso após a ansiedade e angústia; auto-estima, beleza, vaidade, mas às vezes modéstia para com os mesmos; dominância, paciência, trabalho, etc."

Sete de Espadas

Sete de Espadas
  • Título: Futilidade (O Senhor do Esforço Instável)
  • Astrologia: Lua em Aquário
  • Árvore da Vida: Netzach
  • Descrição: "O símbolo mostra seis Espadas com seus punhos em formação de crescente. As pontas das Espadas se reúnem abaixo do centro da carta, encontrando-se com uma lâmina de uma espada muito maior que se impulsiona para cima, como se houvesse um torneio entre as muitas fracas e a única forte. A luta é em vão."
  • Interpretação: "O naufrágio intelectual da carta não é assim tão veemente como no cinco. Há vacilação, um desejo de acordo, certa tolerância. Mas, em determinadas circunstâncias, os resultados podem ser mais desastrosos do que nunca. Isto depende naturalmente do sucesso da política. Haverá sempre dúvida nisto enquanto houver violentas forças discordantes que a tomem como presa natural. - Esta carta, como o quatro, sugere a política da conciliação."
Do Liber LXXVIII:
"Sucesso parcial. Rendimento quando a vitória está ao alcance, como se as últimas reservas de força estivessem se esgotado (...) não continuidade do esforço. Amor de abundância, fascinado pela exposição, dado a elogios, afrontas e insolências, e a espionar os outros. Inclinado a trair a confiança, nem sempre intencionalmente."

Oito de Espadas

Oito de Espadas
  • Título: Interferência (O Senhor da Força Encurtada)
  • Astrologia: Júpiter em Gêmeos
  • Árvore da Vida: Hod
  • Descrição: "O centro da carta é ocupado por duas longas Espadas com as pontas para baixo. Estas Espadas são cruzadas por seis Espadas pequenas, três de cada lado. Elas lembram alguma arma peculiar a algum país ou culto. Vemos a kriss, a kukri, a scramasax, a adaga, a machete e a yataghan."
  • Interpretação: "Falta de persistência em assuntos do intelecto e de discussão. A boa fortuna, entretanto, dá assistência mesmo a estes esforços debilitados graças à influência de Júpiter em Gêmeos, regendo o decanato. Todavia, a vontade é constantemente contrariada pela interferência acidental."
Do Liber LXXVIII:
"Muita força aplicada a coisas pequenas: muita atenção aos detalhes, à custa dos pontos principais e mais importantes. Quando mal dignificada, essas qualidades produzem malícia, mesquinhez, e características dominantes (...) Grande cuidado em algumas coisas, contrabalançada por igual desordem em outras. Impulsivo; também gosta de dar ou receber dinheiro ou presentes; generoso, inteligente, agudo, egoísta e sem forte sentimento de afeto. Admira a sabedoria, mas a aplica a objetos pequenos e indignos."

Nove de Espadas

Nove de Espadas
  • Título: Crueldade (O Senhor do Desespero e Crueldade)
  • Astrologia: Marte em Gêmeos
  • Árvore da Vida: Yesod
  • Descrição: "O símbolo mostra nove Espadas de comprimentos variáveis, todas se dirigindo com suas pontas para baixo. Estão repletas de mossas e enferrujadas. Veneno e sangue gotejam de suas lâminas."
  • Interpretação: "[Nesta carta] As Espadas não representam mais o intelecto puro tanto quanto a agitação automática de paixões cruéis. A consciência se precipitou num domínio privado da luz da razão. Trata-se do mundo dos instintos inconscientes primitivos, do psicopata, do fanático (...) Embora sua forma seja intelectual, é a disposição mental do inquisidor (...) Há, entretanto, uma maneira de lidar com esta carta: a maneira da resistência passiva, resignação, a aceitação do martírio. - A fórmula da vingança impiedosa não é tampouco contrária."
Do Liber LXXVIII:
"Desespero, crueldade, impiedade, malícia, sofrimento, falta, perda, sofrimento. Fardo, opressão, trabalho, sutileza e habilidade, desonestidade, mentira e calúnia. Mas também obediência, fidelidade, paciência, altruísmo, etc."

Dez de Espadas

Dez de Espadas
  • Título: Ruína (O Senhor da Ruína)
  • Astrologia: Sol em Gêmeos
  • Árvore da Vida: Malkuth
  • Descrição: "Os punhos das Espadas ocupam as posições das Sephiroth, mas as pontas de Um a Cinco e de Sete a Nove tocam e despedaçam a espada central (seis) que representa o Sol, o Coração, a criança de Chokmah e Binah. A décima espada também está aos pedaços. É a ruína do intelecto e inclusive de todas as qualidades mentais e morais."
  • Interpretação: "[Esta carta] Mostra a razão se enlouquecendo, tumulto periclitante de um mecanismo sem alma; representa a lógica dos lunáticos e (majoritariamente) dos filósofos. É a razão divorciada da realidade (...) Esta carta mostra a ruptura e desordem da energia harmoniosa e estável."
Do Liber LXXVIII:
"Força indisciplinada, bélica. Ruptura e fracasso completos. Ruína de todos os planos e projetos. Desdém, insolência e impertinência, ainda que alegre e jovial. Um desmancha-prazeres (...) Dado a um discurso inútil, e de muitas palavras. Ainda inteligente, eloquente, etc."

Referências