Lições do Neófito

De Ocultura
Ir para navegação Ir para pesquisar

Na primeira lição o estudante encontrará um material básico acerca dos elementos, de astrologia, do zodíaco, etc. Sem nenhum aprofundamento muito grande, haja vista que deve ser um período de adaptação. Há, também, uma pequena explanação sobre o alfabeto hebraico, muito necessário nos estudos de gematria.


Dos Elementos

O Fogo é de propriedade quente e seca, e é representado por um triângulo de vértice para cima.

Fogo.jpg

A Água é de propriedade fria e úmida, e é representada por um triângulo de vértice para baixo.

Água.jpg

O Ar é de propriedade quente e úmida, e é representado por um triângulo de vértice para cima com um traço no meio.

Ar1.jpg

A Terra é de propriedade fria e seca, e é representada por um triângulo de vértice para baixo com um traço no meio.

Terra.jpg

Dos doze signos zodiacais

Os signos dividem-se em quatro grupos, estes divididos de acordo com seus intrínsecos elementos. Assim temos como signos do Fogo Áries, Leão e Sagitário; como signos da Água Câncer, Escorpião e Peixes; como signos do Ar Gêmeos, Libra e Aquário; e como signos da Terra Touro, Virgem e Capricórnio.

Áries
Touro
Gêmeos
Câncer
Leão
Virgem
Libra
Escorpião
Sagitário
Capricórnio
Aquário
Peixes

Dos Planetas

Os antigos ocultistas só conheciam seis planetas, sem contar aqui o Sol.(Cabe uma pequena reflexão: alguns astrônomos até hoje não consideram Urano, Netuno, Plutão e Sedna planetas de fato, mas isto nos cabe apenas como especulação, a não ser que o leitor seja físico, neste caso, queira contribuir).

Os planetas eram

Tabela - planetas.JPG


Do Alfabeto Hebraico

O alfabeto hebraico possui vinte e duas letras, cada uma delas com um significado particular e atribuídas pelos caminhos da Árvore da Vida. Dentre estas vinte e duas letras existem cinco com uma particularidade, elas devem ser escritas de forma diferentes se forem postas no final da palavra, e são elas Mem, Kaph, Nun, Peh e Tzaddi.

Letra Transliteração Equivalência Correspondência ATU Valor
א - Aleph אלף (Boi) A (vogais) Ar O Louco 1
ב - Beth בית (Casa) B, V Mercúrio O Mago 2
ג - Gimel גמל (Camelo) G Vênus A Sacerdotisa 3
ד - Daleth דלת (Porta) D Lua A Imperatriz 4
צ - Tzaddi צדי (Anzol) Tz Áries O Imperador 90 (900)
ו - Vau וו (Cauda) V, U, W Touro O Hierofante 6
ז - Zayin
זין (Espada) Z Gêmeos Os Amantes 7
ח - Cheth חית (Cerca) Ch, J (espanhol) Câncer A Carruagem 8
ל - Lamed למד (Agulhão) L Libra Ajustamento 30
י - Yod יוד (Mão)
I, Y, J Virgem O Eremita 10
כ - Kaph כף (Palma) K Júpiter A Fortuna 20 (500)
ט - Teth
טית (Serpente) T Leão Tesão 9
מ - Mem מים (Água) M Água O Enforcado 40 (600)
נ - Nun נון (Peixe) N Escorpião Morte 50 (700)
ס - Samekh סמך (Suporte) S Sagitário A Arte 60
ע - Ayin עין (Olho) O Capricórnio O Diabo 70
פ - Pe פה (Boca) P, Ph, F Marte A Torre 80 (800)
ה - He הה (Janela) H Aquário A Estrela 5
ק - Qoph קוף (Nuca) Q Peixes A Lua 100
ר - Resh ריש (Cabeça) R Sol O Sol 200
ש - Shin שין (Dente) Sh Fogo, Espírito O Aeon 300
ת - Tau תו (Cruz) T Saturno, Terra O Universo 400


Poderes inerentes às letras

Eliphas Levi, em Dogma e Ritual de Alta Magia, ainda coloca, para cada letra hebraica, determinados poderes inerentes:

  • “Aleph: Vê Deus face a face, sem morrer, e conversa familiarmente com sete gênios que mandam em toda milícia celeste.
  • Beth: Está acima de todas aflições e de todos os temores.
  • Gimel: Reina com o céu inteiro e se faz servir por todo inferno.
  • Daleth: Dispõe da sua saúde e da sua vida e pode também dispor das dos outros.
  • He: Não pode ser surpreendido pelo infortúnio, nem atormentado pelos desastres, nem vencido pelos inimigos.
  • Vau: Sabe a razão do passado, presente e futuro.
  • Zayin: Tem o segredo da ressurreição dos mortos e a chave da imortalidade.

São estes os sete privilégios. Eis os que seguem depois:

  • Cheth: Achar a Pedra Filosofal.
  • Teth: Ter a medicina universal.
  • Yod: Conhecer as leis do movimento perpétuo e poder demonstrar a quadratura do círculo.
  • Kaph: Mudar em ouro não só todos os metais, mas também a própria terra, e até as imundícies da terra.
  • Lamed: Dominar os animais mais ferozes, e saber dizer palavras que adormecem e encantam as serpentes.
  • Mem: Possuir a arte notória que dá a ciência universal.
  • Nun: Falar sabiamente sobre todas as coisas, sem preparação e sem estudo.

Eis aqui, enfim, os sete menores poderes do mago:

  • Samekh: Conhecer à primeira vista e fundo da alma dos homens e os mistérios do coração das mulheres.
  • Ayin: Forçar, quando lhe apraz, a natureza a manifestar-se.
  • Peh: Prever todos os acontecimentos futuros que não dependam em um livre-arbítrio superior ou de uma causa incompreensível.
  • Tzaddi: Dar de momento a todas as consolações mais eficazes e os conselhos mais salutares.
  • Qoph: Triunfar das adversidades.
  • Resh: Dominar o amor e o ódio.
  • Shin: Ter o segredo das riquezas, ser sempre seu senhor e nunca o escravo. Saber gozar mesmo da pobreza e jamais cair na abjeção nem na miséria.
  • Tau: Acrescentaremos a estes setenários que o sábio governa os elementos, faz cessar as tempestades, cura os doentes, tocando-os e ressuscita os mortos.“

Do Ritual Menor do Pentagrama

É dado ao Neófito o Ritual Menor do Pentagrama como uma prática diária, para que ele persista e, aos poucos, vá entrando em contato com seus poderes, se aproximando e assimilando o mundo espiritual que se abrirá a ele.

O Pentagrama possui cinco pontas, cada uma delas relacionada a um dos quatro elementos acrescidos na ponta superior do elemento Espírito, que deve governar. Cada elemento possui um nome, uma vibração, intrínseco e propriedades particulares, e cada um deles deve ser invocado em seu quadrante (ponto cardeal) correto.

No Ritual Menor do Pentagrama somente o Pentagrama da Terra é utilizado, ora em sua forma de banimento, ora em sua forma de invocação. Mas detalhes acerca deste tipo de exercício podem ser encontrados no Líber O vel Manus et Sagitae (Líber 6).

Da Primeira Meditação

Ao Neófito, lhe é indicado que se sente confortavelmente na posição que preferir. Inspire, segure e expire em um ritmo equilibrado de acordo com suas capacidades. E então passe a concentrar-se em um único ponto fixo, tentando perceber algo de divino naquilo em que se atenta. Após sucesso nesta prática, pode-se trocar o ponto fixo por uma imagem mental ou um símbolo, de forma que o estudante obterá um bom controle de Dharana com o tempo.