Reiki

De Ocultura
Ir para navegação Ir para pesquisar

A introdução a este artigo oferece contexto insuficiente para aqueles não familiarizados com o assunto.
Por favor nos ajude a melhorar a introdução para atingir o padrão Ocultura de qualidade. Você pode discutir o assunto na página de discussão.

O Reiki é uma técnica de cura espiritual e cura energética. A cura espiritual proporciona o relembrar da consciência universal enquanto a cura energética remove os sintomas da mente que causam desordens a nível físico.

Quando as doenças físicas se manifestam, elas são acompanhadas de importantes mensagens para o desenvolvimento ou despertar espiritual da pessoa que as contrai. A cura energética, por si só, pode resolver desordens mentais que causam problemas a nível físico, contudo, a verdadeira cura não acontecerá a menos que se entenda a mensagem espiritual acoplada à desordem mental.

O Reiki traz harmonia ao lado energético, curando verdadeiramente a mente e o corpo, e proporcionando também mudanças ao nível da consciência.

Definição

Caracteres japoneses de Reiki

Reiki é o termo em japonês formado pelos caracteres Rei que significa espírito (no sentido de forma abstrata) e Ki que significa energia. Comumente traduzido no ocidente como“Energia Vital Universal”, trata-se de uma terapia de cunho holístico desenvolvida em 1922 no Japão pelo Dr. Mikao Usui, que têm como princípios um apanhado de suas experiências com as tradicionais terapias abordadas no seio das tradições budista, xintoísta e ocidental.

Apesar destas influências, reiki não possui nenhuma conotação religiosa ou filosófica, apenas atendo-se à visão oriental que pressupõe a existência e atuação de campos energéticos, divididos em canais, pontos e afloramentos destes influxos.

Reiki propõe a manipulação destes influxos energéticos, posturas, métodos de respiração, técnicas específicas de tapotagem e instrumentos psicológicos como a utilização de um simbolismo característico somado a técnicas meditativas.

Este acervo restringir-se-ia ao que era a técnica original do reiki praticado no Japão logo após sua criação, porém ao longo da história, o reiki ganhou diversas vestimentas e mitos fantasiosos que complementaram-no em alguns pontos e turvaram-no em outros. Daí o surgimento de tantas outras "tradições" que utilizam elementos externos e desvinculados da técnica do dr. Mikao Usui.

A técnica que sempre manteve-se preservada em todos os sistemas e que foi responsável por sua popularização, consiste na imposição das mãos que aplicariam cargas da “energia universal” em pontos específicos da malha energética corporal. Porém as técnicas de respiração, visualização, pressão de pontos, tapotagem e etc, acabaram perdendo-se ao longo da viagem do reiki para o ocidente.

A transmissão desses ensinamentos é feita na tradicional divisão japonesa dos graus de aprofundamento na técnica, a saber: Shoden (Nível I*), Okuden (Nível II), Shinpiden (Nível III). O reiki dito como sendo “tradicional”, em verdade só existe hoje em dia na instituição fundada pelo Dr. Mikao Usui, a chamada Usui Reiki Ryoho Gakkai (fundada em abril de 1922). Esta sociedade, porém, só admite em seu corpo de membros japoneses, o que nos leva a clara conclusão de que, a rigor, não existem mestres (formados em Shinpiden) pelo método rigorosamente tradicional no ocidente.

Mas, graças a vinda de japoneses para o ocidente, foi possível trazer esta técnica terapêutica holística, preservando sua essência, possibilitando sua adaptação ao “modo ocidental” e até sendo preservado ao máximo junto a tradição original, como no caso das pesquisas desenvolvidas por Frank Arjava Petter (mestre de Reiki que pesquisa e resgata as origens históricas e técnicas da tradição Usui Reiki Ryoho para o ocidente).

O Reiki foi trazido para o ocidente por Hawayo Takata (havaiana descendente de japonesa abrigados neste país), que era discípula de Chujiro Hayashi, este por sua vez discípulo direto do Dr. Mikao Usui.

Hawayo Takata, ao trazer o reiki para o ocidente via EUA, deu-lhe uma roupagem histórica ocidental, afinal seria de grande dificuldade a aceitação de algo nipônico em solo americano após a II Guerra Mundial, além de despir a complexidade da técnica, permitindo assim, a interação de reiki com outras terapias que dariam origem as novas tradições e técnicas de reiki.

Esta técnica trazida pela linhagem, Mikao Usui – Chujiro Hayashi – Hawayo Takata, foi batizada pela última como Usui Shiki Ryoho, e tornou-se a linhagem mais próxima do Usui Reiki Ryoho original.

Após a morte da Srª Takata em 1980, sua neta (Phyllis Furomoto), fundou a Reiki Alliance que preserva o ensino da tradição Usui Shiki Ryoho. Porém outros discípulos da Srª Takata seguiram caminhos independentes iniciando novas tradições, com novas roupagens e visões sobre a técnica do reiki.

É interessante notar que por mais díspares que sejam estas novas técnicas introduzidas no "reiki ocidental", talvez por estarem fundadas na técnica base de imposição de mãos desenvolvida pelo Dr. Usui, têm boa funcionabilidade e flexibilidade em atuação junto a outras terapias ortodoxas e holísticas, sempre com bons resultados.

Energia "Rei"

A tradução do ideograma japonês "Rei" está associado a palavra ocidental "espírito", mais precisamente a definição mística de espírito, ou seja, uma energia que permeia todas as formas manifestas. Segundo esta definição, tanto seres animados quanto inanimados possuem "energia espírito", "energia universal" ou a "porção indivisível da matéria".

Assim temos: Rei -> Espírito -> Energia Universal (de constituição).

Energia "Ki"

O ideograma "Ki" têm como tradução literal a palavra "energia", mas desta vez sendo melhor traduzido como "vitalidade" ou "energia vital", não a menor porção da matéria mas a energia que impele à vida ou, em termos da mística ocidental, a chamada "alma" e seus constituintes de manutenção e nutrição. Ki (Energia Vital) é o termo japonês usado para designar aquilo que russos designaram de "Energia Bioplasmática", os Hunos de "Mana", os Iroqueses de Orenda, os Hindus de "Prana", os muçulmanos de "Baraka", e os taoístas de "Chi". A energia Ki, que têm como fonte prima o Sol, impregna os seres impelindo-os à vida e a manutenção desta energia Ki é dada pela absorção desta através da água, alimentos e ar. Esta energia corre por canais espalhados pela porção energética do corpo e sua fluidez, equilíbrio e harmonia garantem a saúde e bem-estar físico, mental e espiritual.

Assim temos: Ki -> Alma (e mantenedores) -> Energia Vital.

Aplicações

No ocidente, a técnica de aplicação de Reiki é constituida de aplicação da energia e manipulação desta através das mãos do terapeuta ao longo do corpo do paciente e à distância através de visualizações de símbolos. Esta energia é trocada, captada, distribuída e utilizada pelos principais centros energéticos e seus canais de inter-ligações. Posturas e posicionamentos específicos das mãos são convencionados e utilizados para diferentes tipos de tratamentos e curas. Os objetivos da manipulação da energia vão das curas (física, mental e espiritual) à harmonizações de ambientes e manipulação de forças naturais. Esta manipulação, aplicação e redistribuição da energia é feita igualmente, no oriente, por meios tais como: sopro, visão, visualização, vocalização, cantos, concentração e criação mental ativa.

Princípios

Quando criado ou organizado como técnica terapêutica por Mikao Usui, o Reiki teve incorporado à sua técnica certos princípios morais e éticos cunhados pelo Dr. Usui à partir dos valores pregados pelo Imperador do Japão. Estes princípios foram registrados no pequeno "Manual de Reiki" escrito por Mikao Usui, e deveriam fazer parte da postura do terapeuta reikiano sendo tradicionalmente recitados e relembrados antes de qualquer sessão terapêutica, de sintonização e pela manhã e ao deitar-se.

"O método secreto para atrair bênçãos, a medicina espiritual de muitas doenças. Só por hoje não me irrito, não me preocupo, sou grato,trabalho arduamente, sou bondoso para todos os seres. De manhã e à noite, com as mãos em oração, canta-os com a tua boca e fá-los ecoar no teu coração. Método Reiki Usui para mudar a tua mente e o teu corpo para melhor." (Mikao Usui)

Temos a seguir o quadro com os cinco princípios em japonês e suas traduções:

"Kyo dake wa ikaru na.

Kyo dake wa shinpai suna.

Kyo dake wa kansha shite.

Kyo dake wa gyô hage me.

Kyo dake wa hitori ni shintetshu ni."


"Só por hoje não te irrites.

Só por hoje não te preocupes.

Só por hoje sê grato.

Só por trabalha arduamente.

Só por hoje sê bondoso com todos os seres."

Quando da vinda do Reiki para o ocidente, a tradução destes princípios não foi fiel, mas adaptada a um molde ocidental de moral e ética, porém nos dias atuais, com a possibilidade de acesso aos diários e manual do Dr. Usui podemos comparar a tradução com a sua versão original. Vejamos a tradução ocidentalizada:

"Só por hoje não me irrito.

Só por hoje não me preocupo.

Só por hoje sou grato.

Só por hoje trabalho honestamente.

Só por hoje honro meus pais, idosos e professores."


Sistema

Como veremos a seguir, no item "História do Reiki", o Reiki com sua vinda do Japão ao ocidente trouxe uma série de desmembramentos da técnica e surgimento de diversos métodos de Reiki, cada qual com sua própria maneira de treinar seus terapêutas. Todos, porém, têm em comum a gradução do ensino da técnica, seguindo três ou mais níveis de gradução. Na escola tradicional de Reiki (Usui Reiki Ryoho Gakkai), que leciona o Usui Reiki Ryoho são três os níveis de gradução, a saber: Shoden, Okuden e Shinpiden. Esta escola está em funcionamento apenas no Japão, foi fundada pelo Dr. Usui e não é aberta a ocidentais. No Usui Shiki Ryoho, a escola da Srª Hawayo Takata segue o mesmo príncípio chamando sua gradução de: nível I, nível II e nível III , sendo que este último é dividido em duas partes (mestre e mestre iniciador). Neste sistema, que foi responsável pelo aparecimento do Reiki no ocidente já existe uma certa simplificação da técnica, mas é o mais próximo que um ocidental pode chegar do sistema dito "tradicional" de Reiki. A partir do sistema Usui Shiki Ryoho, ou o Reiki da Srª Takata, todos os métodos ocidentais foram criados ou remodelados sobre a técnica tradicional, onde surgem sistemas de três, quatro, cinco ou mais graus.