Mudanças entre as edições de "Ordo Templi Orientis"

De Ocultura
Ir para navegação Ir para pesquisar
m (O.T.O. movido para Ordo Templi Orientis: inapropriado)
(Sem diferença)

Edição das 22h57min de 25 de setembro de 2006

Selo da Ordo Templi Orientis

Ordem maçônica derivada do Rito de Memphis e Misraim que anexou ao seu sistema a prática do sexo tântrico hindu.

Fundada em 1896 por um maçon alemão chamado Karl Kellner, a ordo templi orientis posteriormente admitiu Aleister Crowley em suas fileiras, sob a alegação do então chefe na Inglaterra, Theodore Reuss, de que ele havia descoberto o segredo principal da ordem reservado ao grau IX° (contido no Liber 333).

A ordo templi orientis foi a primeira ordem a aceitar (pois fora emitido pela Astrum Argentum) o Livro da Lei, tendo o seu sistema reformulado por Crowley. Curiosamente, os expoentes desta ordem, nunca galgaram todos os graus até o final. Sempre receberam a patente do IX° diretamente.

O principal segredo da ordo templi orientis consistia na Magia Sexual, a utilização da energia sexual em trabalhos mágicos. os últimos graus se reservavam a essa prática e eram eles:


- Grau VIII - masturbação - onde sozinho o magista utilizava a força do orgasmo para alimentar um trabalho mágico ( egrégora ou larva astral) ou como é chamado ritualisticamente, um "filho mágico" (ver sigilo).

- Grau IX - heterossexual - onde um casal heterosexual utiliza a força da relação para alimentar o objetivo, consistindo de intenso controle mental e consumação do Elixir ( fluidos sexuais de ambos) na geração do "filho".

Posteriormente Crowley adciona o décimo primeiro, de características masculinas (bissexuais), onde a projeção e recepção da força masculina é utilizada, onde a mulher não pode executa-lo devido a sua natureza passiva ( não podem manifestar a penetração).

A antiga Fraternitas Saturni a utilizava na manifestação da egrégora da ordem ( Ghotos), e Marcelo Motta possuia suas teorias sobre o processo. Segundo ele, o XIº poderia sevir de porta entre a OTO e A.·.A.·. (8° = 3°) e Kenneth Grant possui suas próprias teorias do XI, utilizando os "Kalas".

Os rituais da ordem, bem como seu mais famoso segredo, foram todos publicados em 1973, por Francis King no livro " The Secret Rituals of the ordo templi orientis ", editora Samuel Weiser.

Facilmente mal interpretada (devido a repressão e ignorância sobre o sexo e suas consequencias), a magia sexual, foi (e ainda é) utilizada para satisfações de desejos ou perveções sexuais de pessoas mal intencionadas.

Após uma briga dos ramos mundiais da ordem, Crowley tomou a liderança da mesma, ou melhor da que ele foi eleito chefe, enquanto as outras formaram ordens independentes. Seguiu-se uma série de disputas inúteis de patentes para saber quem seria o seu líder, culminando apenas em confusão.

A ordem contava com dez graus, sendo que o último era administrativo. Posteriormente Crowley cria um décimo primeiro. Alguns dizem que existia um décimo segundo grau, que seria o Cabeça Interno (Caputi Ordinis) da Ordem.

Hoje conta com vários seguimentos e facções, dentre elas poucas são originais, com a Ordo Templi Orientis Typhoniana de Grant e uma já extinta, a alemã Fraternitas Saturnis. Outra manifestação da ordem se encontra em seu braço eclesiástico a Ecclesia Gnostica Catholica.

Marcelo Motta a estabeleceu no Brasil, porém rendendo-se aos argumentos de Crowley sobre a ordem, institui novos rituais, já que os feitos pela Besta, " foram por ela mesma considerados inúteis, daí suas disponibilações à público. Inúteis pois, o motivo, é que nesses rituais Crowley tentou estabelecer uma ponte de ligação entre o velho aeon e o Aeon de Horus. Isto é impossível. A passagem dos Aeons é sempre catastrófica. A maçonaria orisiana, consequentemente, está fadada à dissolução completa. Uma nova maçonaria deve ser estabelecida, uma Maçonaria Thelêmica. Mesmo as Instruções Secretas dos Graus VII, VIII e IX terão que ser reformadas.


A ordo templi orientis , tal como foi organizada de início, e tal como Crowley, desavisadamente, ou talvez otimisticamente, tentou readaptar, era uma organização malsã, tendendo ao nazismo, ao fascismo e ao reacionarismo. Sua destruição era necessária, e não escondo o que fato que minha própria intervenção contribuiu para sua desmoralização total. Se uma casa não pode ser reparada, deve ser destruída, e outra casa erguida em seu lugar

Espero a cooperação de todos, e completa obediência hierárquica, no sentido de reorganizarmos uma ordo templi orientis sem tendência em qualquer direção que não seja o Pilar Central do Templo, que não é mais o de Salomão o Rei, mas sim de THERION o Rei dos Reis. A autoridade de que me valho para trabalhar é a Autoridade de 666 Ele Mesmo, e as sugestões em que baseio meu Trabalho são as de meu falecido Instrutor, última Cabeça Externa da Ordem.

II - É minha intenção manter a ordo templi orientis (minha versão, bem entendido) completamente estanque em três círculos: Externo (I, II, III), Interno (IV, V, VI) e Secreto (VII, VIII, IX). Membros dos graus superiores conhecerão membros dos graus inferiores, porém não vice-versa)"

A ordem chegou ao Brasil, como a A.·.A.·., através de Marcelo Motta, discípulo do então tesoureiro da ordem e dito herdeiro por muitos, Karl Germer.