Karl Von Eckartshausen

De Ocultura
Revisão de 09h39min de 11 de abril de 2008 por Dyulax (discussão | contribs) (Resumo biografico)
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para navegação Ir para pesquisar
Karl von Eckartshausen

Karl von Eckartshausen (1752 – 1803) foi uma das maiores influências teológicas e filosóficas do pensamento do século 18, foram os escritos de uma pequeno autor chamado ‘Karl von Eckartshausen’. Popular durante seu próprio tempo, ele foi um prolífico escritor de livros, papeis e artigos cobrindo assuntos tais como: Ciências, fina Arte, Drama, Políticas, Religiões e História, embora várias vezes, muitos desses tenham sido esquecidos. Talvez ele seja melhor conhecido nos círculos esotéricos por seus escritos sobre Magia, Alquimia e as propriedades dos números, dos quais o mais influente foi o ‘The Cloud upon the Sanctuary’ (A Núvem sobre o Santuário). Esse foi o livro que influenciou pessoas como A. E. Waite (de fato foi Waite que escreveu a introdução à edição mais atual) e outros membros da Ordem da Golden Dawn, mais particularmente Aleister Crowley.

Resumo biográfico

Nascido em 28 de junho de 1752, em Burg Haimhausen, na Alta Baviera, sendo filho ilegítimo do castelão Karl von Haimhausen e da filha de seu administrador, Maria Anna Eckart. A família von Haimhausen nunca reconheceu a criança e von Eckartshausen passou sua juventude com a mãe.

Em 1770, foi para a Universidade de Ingostadt que estava sob a direção de jesuítas onde ele estudou Filosofia e Direito Civil. Naquela época ocorriam mudanças radicais no âmbito filosófico e religioso: a religião transformara-se em ciência da religião e a universidade tornou-se o pódio no qual ocorria a batalha entre o racionalismo e a cultura tradicional, conflito esse que também influenciou o desenvolvimento intelectual e espiritual de Eckartshausen.

Em 1776, após a conclusão de seus estudos universitários, recebeu um título de nobreza e foi nomeado para o conselho da corte. Casou-se com Gabriele von Wolter, filha do médico assistente do príncipe. Em 1777, tornou-se membro da Academia de Ciência da Baviera, e em 1784 foi nomeado responsável pelo arquivo. Nessa época, Eckartshausen filiou-se à Ordem dos Iluminados, uma sociedade de iluministas radicais cujas teorias humanísticas e científicas ele muito apreciava.

Sua obra

Os últimos anos da vida de Eckartshausen foram os mais importantes no que diz respeito a seu desenvolvimento espiritual. Depois da publicação de sua primeira obra esotérica, no ano de 1788, seu misticismo intensificou-se cada vez mais. A linha do pensamento espiritual e hermético da Renascença, como por exemplo a de Marsílio Ficino, trouxe a ele uma nova luz para muitas questões esotéricas de seu tempo.

Profundamente influenciado pelas idéias gnósticas de Jacob Boehme e de Paracelso, estudou a literatura esotérica mais antiga e a mais recente, desde cabala até alquimia. Escreveu numerosas cartas e livros publicados, aperfeiçoando o ideário hermético que, já na sua época e também mais tarde, inspiraram muitos artistas, eruditos e pesquisadores esotéricos, tanto em seu país como no exterior como, por exemplo, Goethe, Schiller e também místicos russos.

Em suas obras ele sempre apresenta o conceito hermético de um mundo por trás do mundo perceptível. Também sua concepção de Deus abrange dois elementos, um visível e um invisível, o divino no homem na sua forma mais pura. A reunificação do homem com Deus foi um dos temas que, para ele, tinham primazia.

Por mais que sua visão do cosmo, de Deus e da humanidade, assim como a de seu ilustre predecessor Boehme, seja controvertida, a vida de Eckartshausen, transcorreu numa relativa tranqüilidade, ao contrário da de Boehme, pois o tempo estava maduro para dar um passo à frente: o Iluminismo já havia deixado sua marca. Para ele não houve perseguições, aprisionamento nem proibição de publicações.

Eckartshausen faleceu no ano de 1803, em Munique, em conseqüência de uma queda.

Referências