Mudanças entre as edições de "Discos"

De Ocultura
Ir para navegação Ir para pesquisar
(Seis de Discos)
(Sete de Discos)
Linha 118: Linha 118:
 
*'''Astrologia:''' [[Saturno]] em [[Touro]]
 
*'''Astrologia:''' [[Saturno]] em [[Touro]]
 
*'''Árvore da Vida:''' [[Netzach]]  
 
*'''Árvore da Vida:''' [[Netzach]]  
*'''Descrição:''' ""
+
*'''Descrição:''' "Os Discos estão dispostos na forma da figura geomântica Rubeus, a mais disforme e ameaçadora das dezesseis [[Geomancia|peças geomânticas]] (...) A  atmosfera  da  carta  é  a  da  ferrugem.  Ao  fundo,  que  representa  vegetação  e cultivo,  tudo  está  estragado.  As  quatro  cores  de  Netzach  aparecem,  mas  estão manchadas de azul escuro ameaçador e laranja avermelhado."
*'''Interpretação:''' ""<br/>
+
*'''Interpretação:''' "O  número  sete,  Netzach,  possui  seu  costumeiro  efeito  debilitante,  o  que  aqui  se agrava devido à influência de Saturno em Touro (...) Os próprios Discos são os Discos plúmbeos de Saturno. Eles sugerem dinheiro ruim."<br/>
 
:''Do Liber LXXVIII:''<br/>
 
:''Do Liber LXXVIII:''<br/>
::''""''
+
::''"Perda de fortuna aparentemente promissora. Esperanças ilusidas e esmagadas. Decepção, miséria, escravidão, necessidade e baixeza (...) Especulações e empregos inúteis, pouco ganho para muito trabalho."''
  
 
===Oito de Discos===
 
===Oito de Discos===

Edição das 14h00min de 29 de novembro de 2011

Template tarot2.jpgTarot | Tarot de Thoth
Arcanos Maiores: O Louco - O Mago - A Sacerdotisa - A Imperatriz - O Imperador - O Hierofante - Os Amantes - A Carruagem - Ajustamento - O Eremita - A Fortuna - Tesão - O Enforcado - Morte - A Arte - O Diabo - A Torre - A Estrela - A Lua - O Sol - O Aeon - O Universo
Arcanos Menores: Paus | Copas | Espadas | Discos

Discos é umas das naipes do Tarot de Thoth, podendo ser feito um paralelo com o Pantáculo.

No Livro de Thoth, Crowley explica sua teoria por trás das novas atribuições do naipe de Discos:

...todos os baralhos anteriores têm pouco mais do que interesse arqueológico, pois o Novo Æon exigiu um novo sistema de simbolismo. Assim, particularmente, a velha concepção da terra como um elemento passivo, imóvel, mesmo morto e “maligno”, teve que deixar de existir. Foi imperativo restaurar a atribuição das cores da Escala do Rei para aquela do Æon de Ísis, verde-esmeralda, como era entendido pelos hierofantes egípcios. Este verde não é, entretanto, o verde vegetal original de Ísis, mas o novo verde da primavera que se segue à ressurreição de Osíris como Hórus. Tampouco devem os Discos serem considerados mais como moedas; o disco é um emblema revolvente, o que é bastante natural visto que já se sabe agora que cada estrela, todo planeta verdadeiro é uma esfera revolvente. O átomo, ademais, não é mais a partícula sólida, não dúctil e inerte de Dalton, mas sim um sistema de forças giratórias comparável à própria hierarquia solar.
Essa tese se enquadra perfeitamente à nova doutrina do Tetragrammaton, onde o componente terrestre, Hé final, a Filha é colocada no trono da Mãe para despertar a longevidade do Todo-Pai. O próprio NOME, consequentemente, não é mais um símbolo fixo, emblema de extensão e limite, mas uma esfera continuamente revolvente; nas palavras de Zoroastro: "repercutindo, rodopiando, bradando.


As Cartas da Côrte

Cavaleiro de Discos

Cavaleiro de Discos
  • Título: O Senhor da Terra Ampla e Fértil. O Rei dos Espíritos da Terra.
  • Astrologia: 20° de Leão até 20° de Virgem
  • Elemento: A parte ígnea da Terra
  • Árvore da Vida: O Caminho de Shin
  • Descrição: "Este guerreiro é baixo e robusto. Veste uma armadura de placas de grande solidez, mas seu elmo, encimado pela cabeça de um veado, está inclinado para trás, pois no momento sua função se limita inteiramente à produção de alimento, razão pela qual ele está armado com um mangual. O disco que ele porta, ademais, é bem maciço e representa a nutrição. Estas características são corroboradas pelo seu cavalo, um cavalo de tiro solidamente apoiado sobre todas as quatro patas, diferentemente do que ocorre com os demais cavaleiros. Ele cavalga pela terra fértil; mesmo as colinas distantes são campos cultivados."
  • Interpretação: "As pessoas simbolizadas pelo cavaleiro de Discos tendem a ser morosas, pesadas e preocupadas com coisas materiais. São laboriosas e pacientes, mas dispõem de pouca compreensão intelectual mesmo dos assuntos que lhes dizem respeito muito intimamente. O sucesso que alcançam neste domínio se deve ao instinto, à imitação da natureza. Falta-lhes iniciativa; seu fogo é o fogo de combustão lenta sem chama do processo de cultivo. — Se mal dignificadas, essas pessoas são irremediavelmente estúpidas, servis, absolutamente incapazes de presciência mesmo em seus próprios negócios, ou de assumir um interesse inteligente em qualquer coisa exterior a elas. São rudes, rabugentas e ciumentas (de uma maneira obtusa) daquilo que compreendem instintivamente ser o estado superior dos outros, mas não dispõem da coragem ou inteligência para se aprimorarem. Contudo, se mantêm intrometendo-se de modo irritante em assuntos insignificantes; interferem e inevitavelmente estragam seja lá o

que for que passe pelo caminho delas."

Rainha de Discos

Rainha de Discos
  • Título: A Rainha dos Tronos da Terra
  • Astrologia: 20° de Sagitário até 20° de Capricórnio
  • Elemento: A parte aquosa da Terra
  • Árvore da Vida: O Caminho de Mem
  • Descrição: "A rainha de Discos está entronizada sobre a vida da vegetação. Contempla o fundo, onde um rio tranquilo flui sinuosamente por um deserto arenoso para trazer a este fertilidade. Oásis começam a se mostrar em meio à aridez. Diante dela se posta um bode sobre uma esfera. Há aqui uma referência ao dogma de que a Grande Obra é fertilidade. A armadura dela é composta de pequenas escamas ou moedas e seu elmo é adornado com os grandes chifres espiralados do markhor. Em sua mão direita ela segura um cetro encimado por um cubo, no interior do qual há um hexagrama tridimensional, e no braço esquerdo se encaixa seu próprio disco, uma esfera de lupes e círculos entrelaçados. Ela representa, assim, a ambição da matéria de participar da grande obra da criação."
  • Interpretação: "Ela representa passividade, usualmente no seu aspecto mais elevado (...) As pessoas enquadradas na significação desta carta possuem o melhor das qualidades mais serenas. São ambiciosas, mas somente nas direções proveitosas. Possuem imensas reservas de afeto, amabilidade e grandeza de coração. Não são intelectuais e não especialmente inteligentes, porém instinto e intuição são mais do que adequados para suas necessidades. Estas pessoas são calmas, mourejadoras, práticas, sensatas, mansas, amiúde (de um modo reticente e despretensioso) lascivas e mesmo debochadas. São inclinadas ao abuso do álcool e das drogas. É como se só pudessem concretizar sua felicidade essencial saindo de si mesmas. - Se mal dignificadas, são obtusas, servis, tolas; são mais burros de carga do que trabalhadores. A vida para elas é puramente mecânica e não conseguem se erguer, ou sequer procurar se erguer, acima do quinhão que lhes foi apontado."


Príncipe of Discos

Príncipe de Discos
  • Título: O Príncipe da Carruagem da Terra.
  • Astrologia: 20° de Áries até 20° de Touro
  • Elemento: A parte aérea da Terra
  • Árvore da Vida: O Caminho de Aleph
  • Descrição: "Trajado de armadura leve, seu elmo é coroado pela cabeça de um touro e sua biga é puxada por um boi, este animal sendo peculiarmente sagrado ao elemento terra. Em sua mão esquerda ele segura seu disco, que é uma esfera semelhante a um globo, marcada com símbolos matemáticos como querendo sugerir o planejamento envolvido na agricultura. Na mão direita ele segura um cetro de topo esférico encimado por uma cruz, um símbolo da Grande Obra realizada, pois é sua função produzir a partir do material do elemento aquela vegetação que é o alimento do próprio espírito."
  • Interpretação: "O caráter indicado por essa carta é o da grande energia trazida para sustentar o mais denso dos assuntos práticos. O príncipe de Discos é energético e resistente, um administrador capaz, um trabalhador constante e perseverante. É competente, engenhoso, ponderado, cauteloso, confiável, imperturbável; está constantemente procurando novos usos para coisas comuns e adapta suas circunstâncias aos seus propósitos num plano lento, estável e bem concebido. - Quanto à emoção, esta lhe falta quase que inteiramente. Ele é um tanto insensível e pode parecer obtuso, mas não é; aparenta isto porque não faz nenhum esforço para compreender ideias que estejam além de seu alcance. Frequentemente parece estúpido e tende a ser rancoroso com os tipos mais espirituais. Custa para zangar-se, mas se impulsionado à raiva, torna-se implacável. Não é muito praticável distinguir entre dignidade boas e más nesta carta; pode-se apenas dizer que em caso do príncipe de Discos ser mal dignificado, tanto a qualidade quanto a quantidade de suas características são um pouco degradadas. A reação dos outros em relação a ele dependerão quase que inteiramente de seus próprios temperamentos."

Princesa de Discos

Princesa de Discos
  • Título: A Princesa dos Vales Ecoantes. A Lótus do Palácio da Terra.
  • Astrologia: Rege um 4º Quadrante dos Céus por volta de Kether.
  • Elemento: A parte terrestre da Terra
  • Árvore da Vida: O Caminho 32-bis
  • Descrição: "Ela usa no topo da cabeça como uma cimeira a cabeça de um carneiro e seu cetro desce para dentro da terra, onde sua extremidade superior se converte num diamante, a pedra preciosa de Kether, simbolizando assim o nascimento da mais elevada e pura luz no mais profundo e escuro dos elementos. Ela está no interior de um bosque de árvores sagradas perante um altar que sugere um feixe de trigo, já que ela é uma sacerdotisa de Deméter. Dentro de seu corpo ela transporta o segredo do futuro. Sua sublimidade é enfatizada ainda pelo disco que porta, pois no centro dele está o ideograma chinês que indica a dupla força espiral da criação em equilíbrio perfeito, do que nasce a rosa de Ísis, a grande Mãe fértil."
  • Interpretação: "As características de um indivíduo significado por essa carta são excessivamente variadas para serem enumeradas. Pode-se resumi-las dizendo que ela é feminilidade na sua projeção última. Possui todas as características da mulher, dependendo inteiramente das influências às quais ela está submetida à manifestação de uma ou outra dessas características. Porém, em todos os casos seus atributos serão puros em si mesmos, e não necessariamente ligados a quaisquer outros atributos que de maneira normal considera-se como simbólico. Num certo sentido, então, sua reputação geral será de inconsistência desnorteadora. "

Os Arcanos Menores

Ás de Discos

Ás de Discos
  • Título: A Raíz dos Poderes da Terra
  • Árvore da Vida: Kether
  • Descrição: "Tem sido o costume de editores ou desenhistas dos baralhos colocar seu selo pessoal no ás de Discos (...) O símbolo central do ás de Discos é consequentemente o hieróglifo pessoal de 'o sacerdote & apóstolo escolhido do espaço infinito...' 'o sacerdote-príncipe, a Besta' (...) Ao centro de tudo há ainda outra forma do Tetragrammaton, o Falo, mostrando Sol e Lua, com o número 666 devidamente inscrito, como se para equilibrar, ajustar-se a Vesica, com os sete setes somando 156 (...) Caso se opte por interpretar a linha vertical acima de 666 como 1, e somá-la, o número da Mulher Escarlate, 667, aparece (...) Esta cifra está encerrada num heptagrama, de necessidade manifesta; e esse número, ademais, em pentágonos entrelaçados cujos lados são prolongados de modo a formar uma roda de dez raios cujo limite é um decágono, o qual, ainda, está, por sua vez, no interior de um círculo, sobre o qual está inscrito por completo o nome ΤΟ ΜΕΓΑ ΘΗΡΙΟΝ de 12 (6 × 2) letras. - Em torno desse disco revolvente estão suas seis asas."
  • Interpretação: "O símbolo inteiro não é somente um glifo da terra tal como entendida neste novo Æon de Hórus, como também do número 6, o número do Sol. Esta carta é assim uma afirmação da identidade do Sol e da Terra"
Do Liber LXXVIII:
"Ela representa a materialidade em todos os sentidos, bons e maus, e é, portanto, em certo sentido, ilusória: ele mostra o ganho material, trabalho, poder, riqueza, etc."

Dois de Discos

Dois de Discos
  • Título: Mudança (O Senhor da Mudança Harmoniosa)
  • Astrologia: Júpiter em Capricórnio
  • Árvore da Vida: Chokmah
  • Descrição: "A carta mostra dois pantáculos, um acima do outro; eles são os símbolos chineses do yang e yin duplicados como no Hsiang. Uma roda é dextrógira e a outra levógira (...) Em torno dos pantáculos vê-se entrelaçada uma serpente verde (ver Liber 65, capítulo III, versículos 17‒20). Sua cauda encontra-se em sua boca. Forma o número oito, o símbolo do infinito, a equação 0 = 2."
Do Liber LXV, Capítulo III, versículos 17-20:
17. Então me percebi Cingido pelo Infinito Círculo de Esmeralda que circunda o Universo.
18. Ó Serpente de Esmeralda, Tu não tens tempo Passado, nem tempo Vindouro. Em verdade, Tu não és.
19. Tu és gostosa além do tato e do sabor, Tu não podes ser vista de glória, Tua voz está além da Fala e do Silêncio e da Fala no Silêncio, e Teu perfume é de puro ambergris, que não é de se pesar contra o mais fino ouro fino.
20. Também Tuas roscas são de infinito alcance; o Coração que Tu cercas é um Coração Universal.
  • Interpretação: "[Representa] A interação harmoniosa dos quatro elementos em movimento constante. Pode-se, na verdade, considerar a carta como o retrato do completo universo manifesto relativamente à sua dinâmica."
Do Liber LXXVIII:
"A harmonia da mudança, alternância do ganho e perda, fraqueza e força (...) Afortunado pela prudência de gestão, mas às vezes inexplicavelmente tolo (...) Gentil, ainda que oscilante e inconsistente."

Três de Discos

Três de Discos
  • Título: Trabalho (O Senhor das Obras Materiais)
  • Astrologia: Marte em Capricórnio
  • Árvore da Vida: Binah
  • Descrição: "A carta apresenta uma pirâmide vista de cima do ápice. A base é formada por três rodas (...) Essa pirâmide está situada no grande Mar de Binah na Noite do Tempo, mas o mar está solidificado, de maneira que as cores do fundo são marcadas por manchas de diversos matizes, um cinza escuro inexpressivo e esmaiado acompanhado de um padrão de azul escuro e verde. As faces da pirâmide têm um forte tom avermelhado, indicando a influência de Marte."
  • Interpretação: "A influência de Binah na esfera da terra mostra o estabelecimento material da ideia do universo, a determinação de sua forma básica. Esta carta é regida por Marte em Capricórnio. Marte é exaltado neste signo e, portanto, no que tem de melhor. Sua energia é construtiva, como a do construtor ou engenheiro (...) [As três rodas representam] mercúrio, enxofre e sal; Sattvas, Rajas e Tamas no sistema hindu; Aleph, Shin e Mem ‒ ar, fogo e água ‒ as três letras-mãe do alfabeto hebraico."
Do Liber LXXVIII:
"Realização e melhora de coisas materiais, ganho nas transacções comerciais, classificação, aumento de substância, influência, esperteza nos negócios, egoísmo (...) Aguçado em assuntos de ganho, às vezes dado a ir atrás de impossibilidades."

Quatro de Discos

Quatro de Discos
  • Título: Poder (O Senhor do Poder Mundano)
  • Astrologia: Sol em Capricórnio
  • Árvore da Vida: Chesed
  • Descrição: "Os Discos são muito grandes e sólidos; a carta sugere uma fortaleza (...) Os próprios Discos são quadrados (...) [e] contêm os sinais dos quatro elementos (...) O fundo é azul celeste profundo, amarelo mosqueado sugerindo um fosso; mas, além disto, há um desenho verde e azul escuro representando os campos guardados cuja segurança é garantida pela fortaleza."
  • Interpretação: "O quatro, Chesed, mostra o estabelecimento do universo em três dimensões, ou seja, abaixo do Abismo. A ideia geradora é exibida em seu sentido material pleno. A carta é regida pelo Sol em Capricórnio, o signo no qual ele renasce (...) Esta [fortaleza] representa lei e ordem mantidas por autoridade e vigilância constantes (...) Na medida em que se afigura estacionária, é o “ponto morto” do engenheiro; e Capricórnio é o ponto no qual o Sol “vira novamente para o norte”."
Do Liber LXXVIII:
"Ganho material assegurado: sucesso, classificação, domínio, poder terreno, concluído mas levando a nada além. Prejudicial, avarento, desconfiado, cuidadoso e ordeiro, mas descontente (...) Ganho de dinheiro ou influência: um presente."

Cinco de Discos

Cinco de Discos
  • Título: Preocupação (O Senhor dos Problemas Materiais)
  • Astrologia: Mercúrio em Touro
  • Árvore da Vida: Geburah
  • Descrição: "O símbolo retrata cinco Discos na forma do pentagrama invertido, instabilidade nos próprios fundamentos da matéria. O efeito é aquele de um terremoto (...) O fundo é um vermelho ameaçador e feio com marcas amarelas."
  • Interpretação: "O número cinco, Geburah, no naipe da terra mostra a ruptura dos elementos exatamente como nos outros naipes. Isto é reforçado pela regência de Mercúrio em Touro, tipos de energia que se opõem. É preciso um Mercúrio poderosíssimo para perturbar Touro, de modo que o significado natural é inteligência aplicada ao trabalho (...) [Os discos] São, contudo, representativos dos cinco Tattwas e mantêm íntegro num plano muito baixo um organismo que, se assim não fosse, se desintegraria totalmente."
Do Liber LXXVIII:
"Perda de dinheiro ou posição. Problema em coisas materiais. Trabalho, fadiga, cultivo da terra; construção, conhecimento e agudeza nas coisas terrenas, pobreza, cuidado, bondade; algumas vezes dinheiro recuperado após fadiga e trabalho. Sem imaginação, áspero, austero, determinado, obstinado."

Seis de Discos

Seis de Discos
  • Título: Sucesso (O Senhor do Sucesso Material)
  • Astrologia: Lua em Touro
  • Árvore da Vida: Tiphareth
  • Descrição: "Os Discos estão dispostos na forma do hexagrama, que é mostrado esboçadamente. Ao centro enrubesce e arde o leve matiz de garança da alvorada e externamente há três círculos concêntricos, amarelo-ouro, rosa-salmão e âmbar (...) Os planetas estão dispostos de acordo com sua usual atribuição, mas são mostrados apenas como Discos irradiados pelo Sol no centro deles."
  • Interpretação: "O número seis, Tiphareth, como antes, representa o pleno estabelecimento harmonioso da energia do elemento. A Lua em Touro rege a carta, e isto, ao mesmo tempo em que aumenta a aproximação da perfeição (pois a Lua é exaltada em Touro e, portanto, em sua forma mais elevada), marca a transitoriedade da condição (...) Estas cores mostram Tiphareth plenamente realizada na terra (...) O Sol é idolatrado como a Rosacruz; a rosa possui quarenta e nove pétalas, a interação do sete com o sete."
Do Liber LXXVIII:
"Sucesso e ganho em empreendimentos materiais. Poder, influência, classificação, nobreza, governo sobre o povo. Afortunado, bem sucedido, liberal e justo. - Se mal dignificado, pode ser vaidoso, insolente em excesso, ou prodígio."

Sete de Discos

Sete de Discos
  • Título: Falha (O Senhor do Sucesso Incompleto)
  • Astrologia: Saturno em Touro
  • Árvore da Vida: Netzach
  • Descrição: "Os Discos estão dispostos na forma da figura geomântica Rubeus, a mais disforme e ameaçadora das dezesseis peças geomânticas (...) A atmosfera da carta é a da ferrugem. Ao fundo, que representa vegetação e cultivo, tudo está estragado. As quatro cores de Netzach aparecem, mas estão manchadas de azul escuro ameaçador e laranja avermelhado."
  • Interpretação: "O número sete, Netzach, possui seu costumeiro efeito debilitante, o que aqui se agrava devido à influência de Saturno em Touro (...) Os próprios Discos são os Discos plúmbeos de Saturno. Eles sugerem dinheiro ruim."
Do Liber LXXVIII:
"Perda de fortuna aparentemente promissora. Esperanças ilusidas e esmagadas. Decepção, miséria, escravidão, necessidade e baixeza (...) Especulações e empregos inúteis, pouco ganho para muito trabalho."

Oito de Discos

Oito de Discos
  • Título: Prudência (O Senhor da Prudência)
  • Astrologia: Sol em Virgem
  • Árvore da Vida: Hod
  • Descrição: ""
  • Interpretação: ""
Do Liber LXXVIII:
""

Nove de Discos

Nove de Discos
  • Título: Ganho (O Senhor do Ganho Material)
  • Astrologia: Vênus em Virgem
  • Árvore da Vida: Yesod
  • Descrição: ""
  • Interpretação: ""
Do Liber LXXVIII:
""

Dez de Discos

Dez de Discos
  • Título: Riqueza (O Senhor da Riqueza)
  • Astrologia: Mercúrio em Virgem
  • Árvore da Vida: Malkuth
  • Descrição: ""
  • Interpretação: ""
Do Liber LXXVIII:
""

Referências