Phyllis Seckler

De Ocultura
(Redirecionado de Soror Meral)
Ir para navegação Ir para pesquisar
Soror Meral, P. Seckler


Phyllis Evelina Seckler (18/jun/1917 - 31/mai/2004) foi uma das mais notáveis mulheres na história de Thelema, mais conhecida por seu mote, Soror Meral. Ele foi iniciada no grau Minerval da Ordo Templi Orientis de Crowley, na Loja Agape em 26 de Agosto de 1939, e foi recebida na A.·. A.·. por Jane Wolfe.

Seckler e a O.T.O.

No final dos anos 60, a O.T.O. de Crowley parecida destinada a obscuridade, mas das cinzas surgiu Phyllis Seckler e Grady McMurtry. Juntos, estas duas pessoas tornaram-se as princiais figuras responsáveis por trazer a Ordem de seu estado de quasi-morte a uma ampla organização mundial que é hoje. É seguro dizer que sem Soror Meral a O.T.O. provavelmente teria morrido. Em 1979 Soror Meral foi patenteada organizar sua própria Loja, chamada Loja 418, e permaneceu nela desde então.

Biografia

Nasceu Phyllis Evelina Pratt, no dia 18 de junho de 1917, na cidade de Edmonton, Alberta, Canadá. Seckler é famosa por ter fundado o College of Thelema na Califórnia em 1973; uma escola para estudo das ciências ocultas desenvolvidas pelo poeta britânico e místico Aleister Crowley.

Ela também foi iniciada na ordem conhecida como A.·. A.·., através de Jane Wolfe e também na Ordo Templi Orientis, mais conhecida como O.T.O., a qual ela se uniu em 1939 depois que foi apresentada à organização pela mesma.

Kundalini - "As forças da kundalini se erguem através da espinha - Ida & Pingala, negativo & positivo estão em ambos lados do Sushumna, o canal central e esses estão no centro da árvore da vida. Em ambos lados há um perfeito equilíbrio entre macho e fêmea, Sol & Lua." - P. Seckler

Em sua carreira profana, Seckler era conhecida como pintora, poeta e jardineira. Ela tornou-se Mestre de Artes de UCLA em 1955 e então foi em ensinar artea na Escola secundária de Livermore naquele mesmo ano - permanecendo nessa faculdade até sua aposentadoria.

"Antes de mais nada, Phyllis era uma professora", diz José Larabell, diretor do College of Thelema. "Nós Thelemitas gostamos de comparar pessoas à estrelas do céu. Todos diferentes e belos do seu próprio modo. É difícil imaginarmos que aquele pequena estrela poderia brilhar tanto mais que a maioria, mas Phyllis era tal estrela."

Além de ser uma educadora, Seckler era uma produtiva escritora e editora. Dentre seus mais famosos trabalhos estava o "In The Continuum", um periódico sobre Filosofia Thelêmica que rodou entre 1973 e 1996.

The Tunnel - "Todo mundo tem dificuldades em suas vidas. A borboleta é um símbolo da alma que leva a pessoa ao fim do tunel onde está a luz do crescimento espiritual." - P. Seckler

Seckler foi casada por três vezes, incluindo uma vez com Grady L. McMurtry, o primeiro cabeça da O.T.O., que morreu em 1985. Os dois foram responsáveis pela sobrevivência da O.T.O. na crise dos anos posteriores. Eles se divorciaram em 1975 depois de seis anos de casamento. Ela teve um filho e duas filhas pelo primeiro marido, Paul H. Seckler, Jr., quatro netos, e nove bisnetos.

Phyllis Seckler morreu logo após uma breve doença em 31 de maio de 2004 (uma segunda-feira) no Hospital e Centro Médico de Oroville, Califórnia, às 16:34, aos 86 anos de idade.

Links externos