Otz Chaim, "עץ החיים" (Otz Chaim), a Árvore da Vida em Hebraico, onde "עץ" (Etz) significa "árvore" e "חיים" (Chaim) significa "vida". Este termo é central na Cabala e na mística judaica, representando a estrutura simbólica através da qual se entende a relação entre o divino, o universo e a humanidade. Ela representa a estrutura metafísica do universo, a natureza de Deus, e a jornada da alma através da criação.

A Árvore da Vida é composta por dez Sephiroth (singular: Sephirah) e vinte e dois caminhos, formando um diagrama que mapeia a relação entre o divino, o universo e o ser humano.

Principais características da Árvore da Vida incluem:

  1. Sephiroth: Cada Sephirah na Árvore da Vida é uma emanação ou atributo de Deus, representando diferentes aspectos da divindade e da experiência humana. As Sephiroth são frequentemente organizadas em três colunas e conectadas por caminhos que simbolizam diferentes estágios de progressão espiritual.
  2. Três Pilares: A Árvore é estrutura da em torno de três pilares centrais - o Pilar do Meio (central), o Pilar da Misericórdia (direita) e o Pilar da Severidade (esquerda). Cada pilar representa diferentes qualidades e atributos.
  3. Caminhos: Os vinte e dois caminhos que conectam as Sephiroth correspondem às 22 letras do alfabeto hebraico e aos 22 Arcanos Maiores do Tarot. Cada caminho simboliza um caminho específico de crescimento espiritual e compreensão.
  4. Microcosmo e Macrocosmo: A Árvore da Vida é vista tanto como um mapa do universo (macrocosmo) quanto como um caminho para o autoconhecimento e a realização espiritual individual (microcosmo).
  5. Meditação e Contemplação: A Árvore é usada como um guia para meditação e contemplação, ajudando os praticantes a explorar aspectos diversos da espiritualidade e a alcançar níveis mais elevados de consciência.
  6. Influência: Além da Cabala, a Árvore da Vida influenciou várias outras tradições esotéricas e místicas, sendo um símbolo recorrente em muitas culturas e filosofias espirituais.

A Árvore da Vida é, portanto, não apenas um símbolo, mas um mapa dinâmico para entender a complexidade do divino, do universo e da jornada humana. Ela representa a interconexão de todas as coisas e a unidade subjacente da criação.

Este verbete pertence à categoria Cabala
Conheça outras Categorias do Ocultura