Kharma

Karma (do sânscrito कर्म karmam; em pali, Kamma) significa ação. O termo tem uso religioso dentro das doutrinas budista, hinduísta e jainista. Foi posteriormente adotado também pela Teosofia, pelo Espiritismo e por um subgrupo significativo do movimento New Age.

Deve-se no entanto notar que não há muita consistência de uso do termo ou de interpretação de seu significado. As religiões utilizam o termo Karma para expressar um conjunto de ações dos Homens e suas consequências. Este termo, na física, é equivalente a lei: "Para toda ação existe uma reação de Força equivalente em Sentido contrário". Neste caso, para toda ação tomada pelo Homem ele pode esperar uma reação. Se praticou o mal então receberá de volta um mal em intensidade equivalente ao mal causado. Se praticou o bem então receberá de volta um bem em intensidade equivalente ao bem causado. Dependendo da doutrina e dos dogmas da religião discutida, este termo pode parecer diferente, porém sua essência sempre foca as ações e suas consequências.

Tabela de conteúdo

Budismo

No Budismo, Kamma ou Karma é a palavra para "ato" ou "ação", e nesse sentido usa-se a palavra em textos mais antigos para ilustrar a importância de desenvolver atitudes e intenções correctas. Considera-se que por gerar Karma os seres encontram-se presos ao Samsara, e portanto a última meta da prática budista é extinguir o Karma. O conceito budista de Karma pode ser melhor associado com a idéia de que toda ação gera uma reação.

Hinduísmo

A diferença básica entre o Karma, seguindo os Budistas, e o conceito Hinduísta é a atribuição de valores morais às ações, ou seja, ações boas trariam de volta resultados bons, enquanto ações ruins trariam coisas ruins. Como uma espécie de bumerangue.

Espiritismo

Na visão espírita cada ser humano é um espírito imortal encarnado que herda o karma bom ou mau de suas encarnações anteriores. Embora Allan Kardec não tenha usado em momento algum a palavra "karma" ou qualquer de suas variações, esta veio a ser mais tarde incorporada ao jargão espírita por alguns espíritas, para designar o nível de evolução espiritual de cada indivíduo, ao qual se devem as circunstâncias favoráveis ou desfavoráveis que venha a encontrar. A meta espírita em relação ao carma é portanto melhorar seu nível para atingir estados evolutivos mais elevados.

Note-se que este conceito de carma não corresponde ao sentido original do "Kamma/Karma" das línguas Pali e Sânscrito. Está mais próximo de significar "consequência kármica" ou "resíduo kármico", já que se refere não ao ato em si, mas a suas consequências.

Ver também


   Esta página foi acessada 8 159 vezes.
O Ocultura utiliza o MediaWiki Valid XHTML 1.0 Transitional Valid CSS!