Elementos

Merriam Websters Dictionary.jpg Este artigo encontra-se parcialmente em língua estrangeira.
Ajude e colabore com a tradução.
Unicursalsmall.gif
Esse artigo precisa de mais informação dentro do contexto de Thelema (i.e. Aleister Crowley, eventos históricos, organização, texto ou aspectos culturais de Thelema). Você pode ajudá-lo expandindo-o.

Existem várias idéias antigas sobre os Elementos Clássicos. A versão Grega dessas idéias persistiu por toda Idade Média e por todo Renascimento, influenciando o pensamento e a cultura Européia profundamente.

Os cinco elementos clássicos da Alquimia são Espírito (ou Éter), Ar, Fogo, Água e Terra, cada qual com suas propriedades.

Tabela de conteúdo

Elementos clássicos na Grécia

Os elementos clássicos representam na filosofia, ciência e medicina Grega as possíveis constituições do cosmo..

Platão menciona-os como sendo de origem Pré-Socráticos, um lista criada pelo antigo filosofo Empédocles.

Um diagrama com dois quadrados sobrepostos, tem em cada ponta um dos elementos, num quadrado, e no outros, suas propriedades. Essa propriedades são descritas como variações da umidade e da temperatura, que produzem um Ar quente e úmido, um Fogo quente e seco, uma Água fria e úmida e uma Terra fria e seca.

De acordo com Galen, esses elementos foram usados por Hipócrates na descrição do corpo humano com associação aos quatros humores: Sangue (Fogo), Bílis Amarela (Ar), Fleuma (Água) e Bílis Negra (Terra).

Algumas cosmologias incluem um quinto elemento, a "quintessência" ou espírito. Esses cinco elementos são algumas vezes associados com os cinco sólidos platônicos: o tetraedro, o cubo, o octaedro, o dodecaedro e o icosaedro.

Os Pitagórícos colocaram a idéia como o quinto elemento e também a letra inicial dos cinco elementos para nomear os ângulos externos do pentagrama.

Alguns associam esses elementos aos quatro estados físicos da matéria: sólido (Terra), líquido (Água), gás (Ar) e plasma Fogo.

Aristóteles adicionou éter como a quintessência, raciocinando que enquanto o Fogo, Terra, Ar, e Água eram materiais e corruptíveis, as estrelas eram eternas ("aether" é baseado no grego para eternidade) e não eram feitas de nenhum destes elementos mas sim de substância especialmente divina.

Elementos clássicos no Hinduísmo

Os elementos clássicos no Hinduísmo são: Bhoomi (Terra), Jala (Água), Agni (Fogo), Vayu (Ar) e Akasa (Espaço). Também são conhecidos como Panchabhootha (os cinco elementos).

Os Elementos durante a Idade Média

A idéia dos elementos clássicos era conhecida durante a Idade Média, e, como o dogma de Aristóteles, compusera uma grande parte da visão mundial na Idade Média. A Igreja Católica e Apostólica Romana apoiou o conceito do aether de Aristóteles porque suportava a visão cristã da vida terrestre como impermanente e o céu como eterno. São numerosas as referências aos elementos clássicos na literatura medieval e podem ser vistos na obra de "muitos" escritores, incluindo Shakespeare:

Thou hast as chiding a nativity
As fire, air, water, earth, and heaven can make,
To herald thee from the womb
-PERICLES, from Pericles Prince of Tyre
The cock, that is the trumpet to the morn,
Doth with his lofty and shrill-sounding throat
Awake the god of day; and, at his warning,
Whether in sea or fire, in earth or air,
The extravagant and erring spirit hies
To his confine
-HORATIO, from Hamlet, Prince of Denmark

A Astrologia e os Elementos Clássicos

A Astrologia tem usado o conceito dos Elementos Clássicos desde a antigüidade até os dias atuais. Astrólogos mais modernos usam os quatro elementos clássicos extensamente, e indicam-nos como um ponto essencial na interpretação da carta natal. As correspondências para os doze signos do Zodíaco são as que seguem:

Os postos elementais para os doze signos astrológicos do zodíaco (de acordo com Marcus Manilius) são como segue:

Na Astrologia tropical do ocidente, sempre existiram 12 signos astrológicos; deste modo, cada elemento é associado a 3 signos do Zodíaco os quais estão sempre localizados a 120 graus de cada outro ao longo da eclíptica e são ditos ser tríades uns com os outros.

Começando com Áries o primeiro signo que é um signo do Fogo, o próximo na linha, Touro é Terra, então para Gêmeos que é Ar, e finalmente para Câncer que é Água -- Na Astrologia ocidental a seqüência é sempre Fogo, Terra, Ar, Água nessa ordem exata. Esse ciclo continua mais duas vezes e acaba com o 12° e último signo, Peixes. A lista a seguir deve permitir que você visualize melhor esse ciclo:

Elementos clássicos Chineses

No taoísmo existe um sistema similar, que inclui Metal e Madeira mas exclui o Ar. Diferentes coisas na natureza são associadas com estes cinco tipos de elementos. Por exemplo, os cinco principais planetas foram nomeados após os elementos: Vênus é Metal, Júpiter é Madeira, Mercúrio é Água, Marte é Fogo e Saturno é Terra. A Lua também representa Yin, o Sol representa Yang. Yin e Yang e os cinco elementos são temas recorrentes no I Ching, que é fortemente relacionado com a Cosmologia e Astrologia Chinesa.

Ver também

Referências

Ligações Externas


   Esta página foi acessada 26 626 vezes.
O Ocultura utiliza o MediaWiki Valid XHTML 1.0 Transitional Valid CSS!